Cuidado: Causadores de gastroenterites no intestino

Cuidado: Causadores de gastroenterites no intestino

Determinadas bactérias produzem toxinas nas células da parede intestinal causando diarreia. Essas bactérias surgem de alimentos mal preparados:

Todo cuidado é pouco na hora de preparar os alimentos na cozinha de um restaurante ou na cantina. Afinal, o risco de doenças e intoxicações alimentares é sempre muito grande.

Veja abaixo o porquê tais cuidados são sempre necessários e principalmente, o motivo pelo qual contar com um suporte da Consultoria Alimentar faz toda diferença.

Causadores de gastroenterites com toxina produzida no intestino

  • Bacillus cereus clássico:

Proveniente do solo, água, vegetais, grãos e farinhas.

O quadro clínico é constituído por um período de incubação de 8 a 16 horas, com diarreia, cólicas, raros vômitos, ausência de febre.

É decorrente de alimentos cozidos e armazenados em condições inadequadas de temperatura por várias horas.

  • Clostridium perfringens

Proveniente do solo, água e vegetais.

O quadro clínico é constituído por um período de incubação de 8 a 16 horas, com diarreia, cólicas, raros vômitos e ausência febre.

É decorrente de alimentos cozidos ou refogados, mantidos em condições de anaerobiose, armazenados por várias horas em condições inadequadas de temperatura.

  • Escherichia coli enterotoxigênica (coliformes fecais)

Proveniente das fezes do homem ou de animais de sangue quente.

O quadro clínico é constituído por um período de incubação de 8 a 16 horas, com diarreia, cólica, raros vômitos e ausência de febre.

É decorrente de vários alimentos contaminados por meio do ambiente ou da manipulação e mal cozidos ou deixados por várias horas em condições inadequadas de temperatura.

  • Salmonella sp

Proveniente das próprias matérias-primas contaminadas como carnes, aves, frutos do mar, gema do ovo e hortaliças plantadas em locais adubados com fezes.

O quadro clínico é constituído por um período de incubação de 12 a 72 horas, com diarreia, cólica, febre e vômito.

É decorrente de alimentos mal cozidos e deixados em temperatura inadequada por várias horas.

  • Yersinia enterocolitica,
  • Campylobacter jejuni,
  • Listéria monocitogenes,
  • Aeromonas hydrophila,
  • Pseudomonas aeruginosa,
  • Streptococus faecales,
  • Vibrio cholerae,
  • Vibrio parahaemolyticus

Microrganismos que podem estar presentes na natureza e nas próprias matérias-primas.

O quadro clínico é constituído por um período de incubação de 12 a 72 horas, com diarreia, cólica, vômito e mal-estar.

São decorrentes de alimentos contaminados, mal cozidos e deixados por várias horas em temperatura inadequada de armazenamento.

  • Difilobotríase

Parasita intestinal, encontrado no salmão cru, que pode provocar cólicas, diarreias e vômitos, emagrecimento e anemia profunda (em casos graves).

Deste modo, o salmão cru ou defumado, para ser consumido, precisa ser congelado sob – 20°C por 7 dias ou -35 °C por 15 horas. A recomendação é consumir o peixe frito, cozido ou assado, pois dessa forma não oferece risco.

Segundo a RDC 216 Anvisa o ambiente, as superfícies e os utensílios que estão envolvidos nos processos de recebimento, armazenagem, manipulação, preparação e consumo dos alimentos devem passar por rigorosos procedimentos de limpeza e desinfecção.

Agende a sua consultoria conosco e veja porque estamos no mercado há mais de 20 anos.

Entre em contato no telefone (WhatsApp) 11 99228-8515.